| (0)  

Como a Globalstar trabalha

Os telefones Globalstar parecem e funcionam como os telefones fixos ou móveis que você está acostumado. A diferença éque eles podem operar virtualmente em qualquer lugar, enviando sua chamada/dados através de um sinal de satélite excepcionalmente claro e seguro por Acesso Múltiplo por Divisão de Código (CDMA).

Como “bent-pipes” ou espelhos no céu, a constelação Globalstar de satélites de órbita baixa (LEO) capta os sinais de mais de 80% da superfície terrestre, em todo lugar fora das regiões polares extremas e algumas regiões no meio dos oceanos. Assim que a constelação de segunda geração estiver totalmente implementada e operacional, diversos satélites podem pegar uma chamada e essa “diversidade de caminho” ajuda a garantir que a chamada não caia mesmo se o telefone saia do alcance de um dos satélites.


Logo que um segundo satélite capta o sinal e écapaz de entrar em contato com o mesmo gateway terrestre, ele começa a transmitir simultaneamente. Se prédios ou o terreno boqueia o sinal do seu telefone, este “soft-handoff” (transferência suave) previne a interrupção da chamada. Agora o segundo satélite mantém a transmissão do sinal original para o “gateway” terrestre.

As vantagens adicionais do uso de satélites de órbita baixa (LEO) no sistema Globalstar incluem imperceptível atraso na voz (latência) e telefones multifuncionais menores/mais leves.

Os gateways processam as chamadas e, então, distribuem as chamadas para as redes de telefonia celular local ou para a Internet. Os gateways terrestres são uma parte importante na estratégia da Globalstar em manter tecnologia de ponta e o equipamento facilmente acessível e integrar os nossos serviços aos serviços existentes das redes de telefonias locais existentes. Isto ajuda a fazer com que o sistema Globalstar e seus serviços sejam mais fáceis de gerenciar, expandir e aprimorar.